Isolamento social, declínio
cognitivo e acidentes domésticos
são apenas algumas das
consequências do problema

É comum com o aumento da idade, ocorrerem algumas alterações celulares, morfológicas e funcionais no indivíduo, sendo que a diminuição da audição é uma delas.

Quando essa diminuição da audição ocorre nas pessoas acima dos 65 anos de idade chamamos de Presbiacusia, que é a causa mais comum.

A Presbiacusia costuma causar uma série de alterações no dia-a-dia do indivíduo, que trarão consequências importantes na sua qualidade de vida, sendo que muitas delas podem ser evitadas ou minimizadas como:

  • Demência
  • Evolução da perda auditiva
  • Declínio cognitivo
  • Depressão (Isolamento social)
  • Acidentes decorrentes da diminuição da percepção auditiva do ambiente
  • Dificuldades de comunicação
  • Dificuldades de relacionamento com familiares e amigos

O uso dos aparelhos auditivos podemos minimizar essas consequências pelo simples fato que o usuário passará a ouvir e entender melhor (Russo, ICP, 1999), garantindo motivação e alegria para a vida.

A perda auditiva pode ser dividida em quatro graus: a leve, em que há dificuldade para ouvir e entender quando se fala baixo ou a uma certa distância; a moderada, em que não se consegue ouvir a fala normal/ curta distância; a severa, que se ouve somente conversas mais fortes e sons mais intensos no ambiente; e a profunda, na qual o paciente tem uma perda completa da audição.

Independente do caso, é importante consultar um profissional especializado em saúde auditiva para que ele possa ajudar no processo, indicar o melhor aparelho para cada paciente e acompanhar a evolução e adaptação dele ao aparelho.

FALE COM A GENTE!